Passeando com seu cachorro sem coleira

É muito legal quando temos um cão super obediente, inteligente, esperto… Ele sabe até andar sozinho sem coleira! Não sai de perto e, se sai, volta rapidinho com apenas um chamado… É tão bonitinho ver um cão levando na boca sua própria guia… Sim, tudo isso é muito fofo, mas é um risco enorme andar com o cachorro sem a guia.

O cão, por mais obediente, adestrado ou o que for, é um animal, um ser vivo que se assusta e é imprevisível. Existem cães que são mais medrosos do que outros, mas isso não quer dizer que esses últimos não se assustam com algo com o qual não está acostumado.

Este é o Jambo ©Danielle Bohnen

O cão macho, principalmente, se não for castrado ou foi castrado depois da maturidade sexual, não controla seus impulsos quando sente cheiro de cio e acredite ele pode sentir esse cheiro a quilômetros de distância. Como você não tem a lista completa de todas as fêmeas no cio do bairro, não arrisque a vida de seu companheiro.

Nem todos são sociáveis

Uma coisa que me irrita muito quando saio para passear com meu cachorro é que, apesar de ser Beagle, ele não é muito sociável e avança em cães machos. Eu, claro, o controlo através da guia e às vezes enforcador, mas sempre tem um irresponsável com o cachorro solto que vem querer fazer amizade com ele. Imagina o malabares que tenho que fazer para evitar uma briga ou que meu cachorro, mesmo preso na guia, machuque o cachorro da outra pessoa.

A história do Jambo

Outra situação que pode acontecer é o cão ver algo muito mais interessante do que o seu comando. Sim, você é o centro do universo dele, mas na rua existem muitas situações imprevisíveis e seu cão pode ficar doido e cego por algo super hiper mega interessante para ele, como um gato, um cão, um rato, uma bola e até coisas que você nem imagina. Este foi o caso do cão de um amigo meu (ele me proibiu de dizer quem é rs). A situação foi a seguinte, o tutor sai todos os dias para caminhar 5 km em seu bairro e o detalhe mais importante é que ele mora em zona rural, as ruas são de terra e a situação é muito mais tranquila do que na cidade.

Pois bem, seu amigão Jambo o acompanha todos os dias nessa jornada, sem guia, claro, ele é um cão esperto, obediente, vira-lata (era para ser um blue hiller rs) e muito apegado com seu tutor. Certo dia, eles foram caminhar como sempre, pelas mesmas ruas, passando em frente às mesmas casas, vendo os mesmos cachorros, só que em determinada altura, apareceu um micro cão que latiu provocando o Jambo.

O que aconteceu? Sem escutar, nem ver e com a atenção voltada ao seu objetivo, Jambo, totalmente focado, saiu correndo atrás do cãozinho. Sem se importar com o quanto gritava o seu tutor, correu para o meio da rua. De repente apareceu um fusquinha, daqueles bem típicos de cidades do interior, o pobre cão tentou frear quando percebeu o carro quase em cima dele e diminuiu a velocidade. Não adiantou muito porque a roda do carro bateu na sua patinha e ele rolou gritando de dor. Por sorte, o carro vinha em velocidade moderada e o cão teve apenas um ferimento na pata, muito feio, mas não houve lesão.

Assim ficou a patinha do Jambo ©Danielle Bohnen

A história anterior bem como outras situações bem comuns e outras nem tanto são motivos suficientes para que você se conscientize e não ande na rua sem a guia devidamente presa na coleira de seu cão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s